Raio X – Foo Fighters

17.05.2019

 

 

 

Em abril de 1994, a banda Nirvana chega ao fim após a trágica morte de Kurt Cobain, vocalista, guitarrista e líder da banda. A banda imediatamente encerra suas atividades e os membros remanescentes enfrentam a tristeza e pensam em sair do ramo da música. Até que em Outubro do mesmo ano, um dos integrantes, o então baterista Dave Grohl resolve alugar uma semana de estúdio perto da sua casa e gravar algumas músicas que compôs durante os anos.

 

A intenção era diversão, mas o álbum que Dave Grohl gravou inteiramente sozinho tornou-se uma banda:  intitulado Foo Fighters, nome usado por aviadores na segunda guerra mundial para indicar fenômenos aéreos misteriosos UFO’s. O albúm ganhou um selo da Capitol Records e Grohl juntou-se com Nate Mandel, William Goldsmith e Pat Smear para fazer turnês. Assim nasce a clássica banda de post grunge rock Foo Fighters.

 

The Colour And The Shape

 

 

 

Lançado em 20 de Maio de 1997, esse álbum  foi marcado por diversos conflitos entre membros da banda. Dave Grohl refez a bateria que o então baterista tinha gravado, o que o fez sair da banda, abrindo espaço para Taylor Hawkins entrar. Após as gravações, Pat Smear sai da banda. Apesar de todos os problemas entre os membros, é o álbum do Foo Fighters mais vendido nos Estados Unidos.

 

As músicas alternam entre baladas mais calmas para músicas com muita influência do grunge, com fortes guitarras. Hits como “Monkey Wrench” e “My Hero” estão no álbum, assim como o maior sucesso da banda, a música “Everlong” que curiosamente, fez mais sucesso na versão acústica do que na versão tradicional. Após um tempo a versão tradicional “colou” mais nos shows por ter uma energia cativante.

 

There Is Nothing Left To Lose

 

 

 

O terceiro álbum foi lançado em 2 de Novembro de 1999. Tem uma sonoridade mais experimental do que seus antecessores. Gerou à banda o primeiro Grammy de melhor álbum do ano e o Grammy de melhor clipe para “LearnTo Fly”. O álbum foi gravado apenas por Dave Grohl, Taylor Hawkins e Nate Mandel na garagem de uma casa que Dave comprou.

 

Ele fez um estúdio na garagem e gravaram o albúm quando quisessem e da maneira que quisessem. Sem pressão de gravadora. Essa tranquilidade se reflete na sonoridade das músicas. Os hits “Breakout”, “Next Year”, “Generator” e o já mencionado hit esmagador “LearnTo Fly” estão presentes nesse albúm.

 

One By One

 

 

 

Mais um álbum conflituoso, foi lançado em 22 de Outubro de 2002. A banda não estava muito integrada, eles fizeram várias sessões que custaram milhões de dólares e muito tempo para depois jogar tudo fora e fazer no estúdio de Dave Grohl um tempo depois.

 

Após essas gravações, a banda brigou feio, entrou em um hiato e Dave Grohl foi gravar bateria no álbum Song For The Deaf e fazer um pedaço da turnê do mesmo álbum com o Queens of The Stone Age. Rendeu 2 Grammys para a banda, como álbum do ano e “All My Life” como melhor música de Hard Rock. Conta com uma sonoridade bem pesada, retratando talvez os conflitos da época.

 

Echoes, Silence, Patience and Grace

 

 

 

25 de Setembro de 2007 foi o dia de lançamento desse aclamado álbum. Com uma sonoridade bem diferente, esse álbum mescla músicas tradicionais do Foo Fighters com músicas mais melodicamente completas e com elementos diferentes como violinos. Foi durante a turnê desse álbum que o Foo Fighters fez dois shows no Wembley Stadium, um estádio famoso por receber apenas grandes bandas. Foi um grande marco na carreira da banda.

 

A música The Ballad Of Beaconsfield Miners tem uma história interessante. Em 2006 houve um colapso em uma mina na Austrália e alguns trabalhadores ficaram presos. Um deles, ao ser perguntado pela equipe de resgate o que ele queria respondeu que queria um Ipod com o último álbum do Foo Fighters. Dave ficou muito emocionado e compôs essa música em sua homenagem.

 

Wasting Light

 

 

 

Considerado por muitos fãs o melhor álbum da banda. Lançado dia 12 de Abril de 2011, o álbum é inovador em vários aspectos. Foi gravado na garagem de Dave Grohl, de maneira analógica, dando um som mais cru e natural, sem possíveis correções digitais. Foi produzido por ninguém menos que Butch Vig, o produtor de um dos mais famosos discos dos anos 90, Nevermind do Nirvana.

 

Marca a volta de Pat Smear à banda que estava ausente desde 1997, e além de tudo tem uma participação especial de Krist Novoselic, baixista no Nirvana, na música I Should Have Known, provavelmente a única música da carreira que Dave Grohl faz referências explícitas ao seu colega Kurt Cobain.

 

Com a sonoridade mais pesada, relembrando muitas vezes as origens da banda com a maturidade da anos de estrada, é um dos mais aclamados pela crítica e um dos maiores best-sellers da carreira da banda. Rendeu 4 Grammys para a banda incluindo melhor álbum de rock. “Walk” “TheseDays” e “Rope” são os principais singles, mas nesse disco, todas as músicas ficaram conhecidas e são verdadeiras obras-primas.

 

Concrete and Gold

 

 

 

Lançado em 15 de setembro de 2017, é o último álbum de estúdio do Foo Fighters. A sonoridade do album é definida por Grohl como onde os extremos do hard rock colidem com as sensibilidades do pop.

 

Produzido por Greg Kurstin, que produziu grandes artistas como Adele, trazendo toda essa sensibilidade do pop e tornando este o álbum do Foo Fighters com mais sonoridade. Não pesada, mas grande.  Conta com participações especiais de pessoas como Justin Timberlake e Paul McCartney. “Run” e “Sky Is A Neighbourhood” são seus principais singles.

 

O Foo Fighters vem desde seu início se reinventando. Passaram por vários momentos difíceis e ousaram territórios musicais que eles não conheciam. Mas eles continuam como uma das maiores bandas de rock da atualidade. Uma banda que ninguém pensou que chegaria onde chegaram, um dos remanescentes da época do grunge dos anos 90, com o líder da banda tendo feito parte da banda mais famosa do movimento, o Nirvana.

 

Diversas influências que vão do rock clássico ao metal passando pelo punk e grunge, o som deles agrada a todos. Em cada álbum há uma ideia diferente, eles não se contentam em fazer o mesmo todas as vezes, e isso faz deles uma banda atual com suas raízes muito bem definidas e evidentes.

 

Ao vivo, uma energia que contagia. Não há como ficar parado em seus shows. Com uma presença de palco espetacular, Dave coloca todos para dançar, pular e cantar. Realmente uma banda única, especial e atemporal.

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

© 2017 VILLIONE. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

  • YouTube - Black Circle
  • b-facebook
  • Instagram Black Round